Pesquisa mostra que Instagram é a rede social mais nociva à saúde


(Foto: Reprodução/Bloomberg)

Uma pesquisa realizada pela instituição de saúde pública do Reino Unido, Royal Society for Public Health, em parceria com o Movimento de Saúde Jovem revelou que as taxas de ansiedade e depressão da população, de 14 a 24 anos, aumentaram 70% nos últimos 25 anos com o uso das redes sociais. Dentre elas, o Instagram foi avaliado como a mais prejudicial à saúde mental dos jovens. Segundo estudo, redes sociais são mais viciantes que álcool e cigarro. As informações são da Superinteressante.

A coisa funciona como uma droga: quanto mais tempo você passa diante do celular ou do computador, mais tempo você quer ficar. 90% das pessoas com essa faixa etária usam redes sociais, o que os torna ainda mais vulneráveis a seus efeitos colaterais. O estudo mostrou que o compartilhamento de fotos pelo Instagram impacta negativamente o sono, a autoimagem e a aumenta o medo dos jovens de ficar por fora dos acontecimentos e tendências.

Segundo a pesquisa, o site menos nocivo é o YouTube, seguido do Twitter. Facebook e Snapchat ficaram em terceira e quarta posição, respectivamente. Apesar do Youtube ser um dos sites que mais deixam os jovens acordados até altas horas, o site foi avaliado como o que menos prejudicou o bem-estar dos participantes. Instagram, em contrapartida, recebeu mais da metade das avaliações negativas. O Snapchat teve os piores resultados: é o que contribui para privação de sono e o sentimento de ficar por fora (FOMO).

A “vida perfeita” compartilhada nas redes sociais faz com que os jovens desenvolvam expectativas irreais sobre suas próprias vivências. Não à toa, esse perfeccionismo atrelado à baixa estima pode desencadear sérios problemas de ansiedade. Os pesquisadores dizem que os usuários que passam mais que duas horas diárias conectados em mídias sociais são mais propensos a desenvolverem distúrbios de saúde mental, como estresse psicossocial.

As autoridades de saúde que realizaram o estudo pedem que as plataformas mandem mensagens e alertas para prevenir o uso descontrolado das redes e criem ícones especiais para indicar quando as fotos forem editadas, prevenindo assim que as pessoas se sintam mal em relação a sua aparência.

Os cientistas também sugerem que as redes auxiliem a identificar sinais de que os usuários estão passando por problemas de saúde mental através do conteúdo publicado e que ofereçam algum tipo de suporte emocional a essas pessoas.

“As plataformas que supostamente ajudam os jovens a se conectarem podem estar alimentando uma crise de saúde mental “, afirmou a Royal Society for Public Heath, na divulgação dos resultados da pesquisa.



Saiba como usar a mesma conta de WhatsApp em 2 celulares


Por segurança, o WhatsApp não permite que os usuários usem o aplicativo em mais de um smartphone ao mesmo tempo. No entanto, há um truque para burlar isto. E sem riscos.Segundo o Olhar Digital, a experiência não é exatamente a mesma nos dois celulares, pois o do segundo equipamento não se ajusta perfeitamente à tela, mas pode ajudar em um momento de emergência. Confira o procedimento:
1. Abra o Google Chrome no smartphone sem WhatsApp. Toque nos três pontinhos no canto superior da tela para abrir o menu de configurações e selecione a opção “Versão para desktop”;
2. Acesse o site: web.whatsapp.com. A página vai gerar um código QR, que será utilizado a seguir. Use os dois dedos para ampliar o código, até que ele ocupe quase toda a tela;
3. Abra o WhatsApp no celular em que ele está instalado e procure pela opção “WhatsApp Web” no menu configurações. Toque no ícone de adição (+) no canto superior da tela;
4. O aplicativo abre automaticamente o modo de câmera e leitor de código QR. Coloque-o em posição de ler o código do outro celular e aguarde a confirmação. Pronto! O WhatsApp Web já está configurado no smartphone que não tem o app e continua disponível no que ele está instalado.



Facebook lança tecnologia que ajuda a proteger imagens íntimas


Nesta quarta-feira (5), o Facebook anunciou novas ferramentas que vão ajudar as pessoas quando imagens íntimas são compartilhadas no Facebook sem permissão. Quando este tipo de conteúdo, comumente conhecido como pornografia de vingança, for reportado a nós, vamos poder prevenir que seja compartilhado no Facebook, no Messenger e no Instagram. Esta novidade é parte de nossos esforços para ajudar a construir uma comunidade mais segura, tanto no Facebook como fora dele. De acordo com um estudo conduzido nos Estados Unidos com vítimas do compartilhamento de imagens íntimas sem consentimento, 93% das pessoas afetadas por esse compartilhamento relataram angústia emocional, e 82% afirmaram sofrer prejuízos em aspectos sociais, profissionais e outras importantes áreas de sua vida.
Soluções desenhadas para ajudar as pessoas nas seguintes situações: Se você se deparar com uma imagem que parece ter sido compartilhada sem autorização no Facebook, você poderá denunciar este conteúdo ao clicar na seta localizada no canto superior direito de todos os conteúdos publicados na plataforma, ou no “…” (reticências) localizada próxima a publicação; Uma vez denunciado, membros especialmente treinados do time de Operação de Comunidade irão revisar os conteúdos, e removê-los caso violem os Padrões de Comunidade. Em muitos casos, suspendem a conta que compartilhou estas imagens íntimas sem permissão. A plataforma vai utilizar a tecnologia de “photo-matching” para ajudar a frustrar as tentativas de compartilhar as imagens no Facebook, Messenger e Instagram. Se alguém tentar compartilhar a imagem depois que ela foi denunciada e removida, a plataforma vai alertar essa pessoa que a imagem viola nossas políticas e que nós vamos impedir sua tentativa de compartilhamento. (Noticias ao Minuto)



Golpe no WhatsApp coloca milhares de brasileiros em perigo


Os usuários do WhatsApp precisam ficar atentos com um novo golpe no aplicativo. De acordo com a empresa de segurança PSafe Tecnologia, os clientes de planos pré-pagos são convidados a uma suposta promoção para conseguir créditos grátis para celular.

A empresa afirma que mais de 25 mil pessoas já foram alvos da ameaça em menos de uma semana. Ainda não há informações sobre quais os perigos para quem clica na mensagem com o texto: “Créditos Grátis para Celular”. No entanto, os usuários são levados a fazer o download de um aplicativo falso que pode roubar os dados dos clientes. A PSafe também explica que os criminosos podem utilizar as informações para descontar um valor dos seus créditos ou na fatura mensal do celular e roubar seu dinheiro.

No começo do mês de novembro, um outro golpe estava circulando no WhatsApp e danificando o celular de muitos usuários do aplicativo. Trata-se de uma suposta promoção ligada a companhia aérea Latam que oferece passagens de avião a preço mais barato. A ameaça foi detectada pelo especialista em segurança da empresa Kaspersky Lab, Fábio Assolini. De acordo com Fábio, a frequência deste tipo de golpe está ligado à popularidade do WhatsApp no Brasil. Esta não é a primeira vez que o golpe é aplicado no Brasil. No começo deste ano a rede de lanchonetes Burguer King foi o alvo da ameaça. iBahia



Confira o novo Trailer da Mulher Maravilha


Como você pode perceber, o inédito “Liga da Justiça – Parte Um”, previsto para 16 de novembro de 2017, conta com Ezra Miller, na pele do novato Flash, Jason Momoa, interpretando o Aquaman, e Ben Affleck e Gal reprisando os seus papeis como o Batman e a Mulher-Maravilha, respectivamente. Antes disso, os dois já foram vistos em “Batman Vs Superman: A Origem da Justiça“, outra trama da DC Comics lançada em março de 2016.

Já o primeiro filme solo da guerreira da DC tem direção da cineasta Patty Jenkins e está agendado para chegar às telonas no dia 1º de junho de 2017. Além da protagonista, outros astros também estão confirmados no elenco. Como Chris Pine, Robin Wright, Connie Nielsen e muito mais.



Polícia de Paris testa aeronaves a controle remoto para combater o crime


A polícia da capital da França, Paris, vai testar o uso de aeronaves operadas por controle remoto para monitorar áreas consideradas perigosas.
A secretaria de Segurança Pública parisiense já lançou uma licitação para fabricantes que queiram participar dos testes.
Notícias relacionadas
Drone localiza idoso com Alzheimer perdido nos EUA
Empresa vende drone polêmico que dispara spray de pimenta
MH370: drone submarino fará buscas no fundo do marEntre as possíveis aplicações dos drones estariam coleta de provas sobre tráfico de drogas, localização de fugitivos e observação de manifestações.
Inicialmente, o potencial dos drones deve ser testado em operações específicas. A primeira experiência deve acontecer em um estádio esportivo nos arredores de Paris.
“Poderemos utilizar os drones para recuperar informações em zonas de risco”, disse Philippe Caron, da direção operacional de serviços técnicos e logísticos da polícia parisiense.


O que você quer fazer antes de morrer?’, diz campanha da Malaysia Airlines


Empresa cortou milhares de funcionários após desastres aéreos
A companhia aérea Malaysia Airlines lançou na última segunda-feira uma competição online que gerou polêmica na internet.
A ação de marketing chamada “My Ultimate Bucket List” (“Minha lista definitiva de coisas a fazer antes de morrer”, em tradução livre) não teve a repercussão positiva esperada nas redes sociais, com internautaus considerando a campanha “insensível”. Este ano, dois desastres envolvendo aviões da companhia mataram 537 pessoas.
Quase seis meses após o desaparecimento inexplicavél do voo MH370, a Malaysia Airlines lançou a competição pedindo que clientes australianos e neozelandeses descrevessem em 500 palavras ou menos “um desejo da sua lista, onde você gostaria de realizar esse desejo, e por quê”.
Os 16 vencedores da competição receberiam um iPad ou passagens de ida e volta para a Malásia.
Na manhã desta quarta-feira, o link original para o site do concurso havia sido removido do site da companhia aérea.

O concurso ainda está sendo oferecido, mas após fortes críticas, a pergunta foi reformulada, e pede aos competidores que descrevam os destinos e atividades em sua “lista de coisas a fazer”.