ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

Chapada: Festival de Lençóis é adiado e agora será entre 31 de maio a 2 de junho de 2018


A 19ª edição do Festival de Lençóis foi adiada para o primeiro semestre de 2018. O evento, que tradicionalmente acontece no mês de outubro, foi transferido para o período entre 31 de maio e 2 de junho do próximo ano, por questões operacionais.

Por meio de nota, a produtora do festival, Pau Viola, informou que o adiamento foi necessário para manter o seu formato de sucesso. Há 18 anos em atividade, o palco principal do evento já recebeu artistas como Gilberto Gil, Lenine, Mart’nália, Russo Passapusso, Ana Carolina, Pato Fu, Luís Melodia, Flávio Venturini, Adriana Calcanhoto, Elza Soares, Nando Reis e Vanessa da Mata.

Desde a primeira edição, em 1999, o Festival de Lençóis acontece anualmente em outubro, reunindo, em média, segundo dados da produtora, um público de 10 mil pessoas por dia. O evento tem apoio do governo do estado.

Fonte: A Tarde



Morro do Chapéu luta para transformar 20 geosítios históricos no Geoparque


De acordo com publicação da coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde – assinada pelo jornalista Levi Vasconcelos, lideranças do município de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, atuam para transformar os 20 geosítios históricos no Geoparque do Morro do Chapéu. Para consolidar esse processo é preciso percorrer um longo caminho, principalmente no que se refere a infraestrutura hoteleira e treinamento de pessoal. Odilézio Gomes, que é ex-prefeito de Morro do Chapéu, está animado e foi fonte para o colunista.

“A Serra do Araripe é Geoparque com nove geosítios em seis municípios. Aqui temos 20 só no Morro”, disse o político. Segundo informações, quem dá a palavra final nestes casos é a Unesco, que pode conceder ou não o título. Ainda conforme o colunista Levi Vasconcelos, a questão une representantes de Morro do Chapéu, como o deputado federal José Carlos Araújo (PR) e o prefeito Leo Dourado (PR). Os dois eram amigos e viraram inimigos políticos mortais. Com informações do A Tarde.



Festivais de música movimentam a Chapada Diamantina neste segundo semestre


A Chapada Diamantina já é bastante conhecida por suas belezas naturais e agora conquista mais um espaço como alternativa para grandes festivais neste segundo semestre. Esses eventos de música de diferentes estilos se aliam às trilhas e caminhos para cachoeiras, grutas, rios e paisagens de tirar o fôlego. Lençóis, Abaíra, Mucugê, Iramaia são algumas das cidades que se destacam com eventos musicais gratuitos. Antes, no último mês de agosto, por exemplo, aconteceu o Festival de Igatu , evento já tradicional no calendário de festas da região chapadeira. Sem falar na Feira Literária de Mucugê que tomou a cidade com atividades com escritores e também com pequenas apresentações musicais.

Festival da Cachaça
Neste mês de setembro terá mais festivais. O único pago será na edição de 2017 do Festival de Cachaça em Abaíra, que acontece nos dias 21 e 24 com programação dividida em duas partes. A paga será nos dias 22 e 23 de setembro, no Club Social, com as apresentações de Léo Santana, Raneychas, Marlus Viana no dia 22; e Solange Almeida, Zanzibar e André e Mauro no dia 23. Na parte gratuita do evento, nos dias 21 e 24, na Praça de Eventos, se apresentam ‘Hot Xote’, ‘Itamar e Grupo Vira e Mexe’ e ‘Caviar com Rapadura’, no dia 21 e no dia 24 será a vez das bandas Vingadora, Madeirada do Arrocha e Orlando Nascimento.

Festival de Jazz do Capão
Ainda em setembro, a Chapada Diamantina também recebe turistas para o Festival de Jazz do Capão, que acontece entre 22 e 23, e é um dos eventos mais aguardado do público que gosta de boa música e da natureza. Entre os nomes está o do instrumentista consagrado nacionalmente, Egberto Gismonti. Ele se apresenta na sexta-feira (22), quando também se apresentam Candombá Blues Dab, Jonga Lima e Cassio Nobre, e o grupo Pirombeira.

Já no sábado (23) será a vez das apresentações de Ubiratan Marques Àse Ensemble, Quintetrio (Tributo ao Samba Jazz) e da norte-americana de voz potente, Michaela Harrison. “Esse ano eu quero ir para o festival de jazz. Mesmo em cima da hora vou dar um jeito com meu marido para irmos de bate e volta. É sempre recompensador”, salienta a psicóloga que mora em Salvador, Laura Alícia Silva Côrtes.

Festival de Forró
Dando sequência, a Chapada Diamantina vai abrigar em outubro o primeiro Festival de Forró. Isso mesmo, e será em Mucugê entre os dias 12 e 14. Mesmas datas do Festival de Lençóis, evento tradicional que corre o risco de não acontecer por falta de patrocínio . A grade de programação dos forrozeiros já foi divulgada e circula pelas redes. O Jornal da Chapada divulgou a lista de atrações completa que terá o som do idealizador do festival, Targino Gondim todos os dias. Além de Targino, estão ainda Genival Lacerda, Estakazero, Tato do Falamansa, Jô Miranda, João Lacerda, Cezzinha, Mestrinho, Zelito Miranda, Renato Borghetti e artistas locais.

O Festival de Forró vai ter oficinas de sanfona, aulas de dança e a Rural Elétrica. Toda a programação é gratuita. Não vai faltar oportunidade nem variedade, isso sem contar nos eventos regionais como festas de vaqueiros, festivais de cachaça e tantas outras festas que movimentam a região, como a Festa da Gruta , no município de Iramaia, nos dias 6 e 7 de outubro. Promovido pela Câmara e pela prefeitura local, o evento contará com a apresentação de artistas de diferentes estilos.

Estão confirmados o cantor Tierry, a banda Adão Negro, além de Guettho é Guettho, Bonde do Malandro, Boteco de Luxo, Oz Malaz do Forró, Rey na Kikadinha e Kobra Kriada. Apesar da expectativa dos amantes do reggae, o Vale do Capão, no município de Palmeiras, não receberá este ano a edição do seu Festival de Reggae ‘Nós Somos o Mundo’. A organização do evento publicou em suas redes sociais que o evento não acontecerá.



Ibitiara/BA: Nossa caatinga pede socorro!


Este desconhecimento generalizado acerca da fantástica biodiversidade que a Caatinga, palavra que advém do tupi-guarani e que significa “Mata Branca”, possui, tem levado ao desaparecimento de inúmeras espécies animais e vegetais, abatidos pela caça impiedosa e o desmatamento descontrolado. Não é novidade ser a Caatinga o ambiente que habita a parcela mais pobre da população brasileira, economistas apontam que o Produto.

Não há mais tempo a perder, a conscientização de todos, dos cientistas aos estudantes, das donas de casa aos governantes, enfim é preciso que, repisa-se, todos hajam em defesa deste bioma que assume o protagonismo de verdadeiro laboratório natural para se estudar e entender os efeitos das Mudanças Climáticas, que exigirão cada vez mais espécies capazes de sobreviver a elevadas temperaturas e submetidos periódicos estresses hídricos, justamente uma das principais características dos habitantes da nossa Caatinga brasileira.

Essas imagens foi registrada no inicio da tarde desta quarta-feira, (06) próximo ao Distrito do Mocambo município de Ibitiara-BA, a nossa Caatinga pede socorro. (Blog Liberdade Bom Sucesso)



Presos da delegacia de Morro do Chapéu/BA destroem celas durante rebelião


Cerca de 21 presos custodiados na carceragem da Delegacia de Polícia Civil de Morro do Chapéu/BA, iniciaram uma rebelião no início da noite desta quarta-feira (06), por volta das 18h, mas foram contidos por policias.

Segundo a polícia, os detentos romperam as portas da delegacia e acessaram salas do depósito e do delegado, onde estavam guardadas ferramentas e várias armas.

Durante a ação houve troca de tiros, mas ninguém se feriu. Os presos destruíram portas, janelas, armário, impressora e outros objetos do local. O controle da rebelião teve o apoio das Polícias Civil e Militar, Polícia Rodoviária Estadual, militares da Rondesp (Rondas Especiais) e CAESA – Companhia de Ações Especiais do Semiárido.

A polícia aprendeu em poder dos presos, várias armas de fogo e branca, munições, droga, aparelhos de celulares e diversos objetos, como por exemplo, furadeira, makita, foice e alicate.

A ação foi totalmente controlada por volta das 22h. Nenhum preso conseguiu fugir e ninguém se feriu. (Central Notícia)



Nasce primeiro bebê do Serviço de Parto Normal da Santa Casa de Ruy Barbosa


Nasceu, na manhã dessa terça-feira (05), o primeiro bebê do SPN (Serviço de Parto Normal) da Santa Casa de Misericórdia de Ruy Barbosa, com 3,85 kg, 51 centímetros e cheia de saúde. A mãe, Vanusa Miranda, falou emocionada sobre a experiência de vivenciar o nascimento da filha de forma humanizada. “Foi maravilhoso. Uma experiência diferente dos três partos que já tive. Esse foi especial, tive muita atenção das enfermeiras, foi totalmente natural. Estou muito bem”, disse ela, que pensa em colocar o nome da filha Jasmim, em homenagem ao quarto do SPN onde pariu, que possui o mesmo nome.
O nascimento de Jasmim representa um momento importante para a saúde da região, por inaugurar o primeiro serviço de parto normal humanizado da Chapada Diamantina, nos critérios preconizados pela Rede Cegonha. Os quartos PPP (pré-parto, parto e pós-parto) dispõem de bola suíça, banqueta vertical e som ambiente. Nele, a gestante direito a acompanhante e autonomia de escolher como deseja parir.
A família recebeu a visita do gestor administrativo da Santa Casa, Carlos Rodrigues, e do prefeito de Ruy Barbosa, Claudio Serrado, que ressaltou a alegria em ver nascer esse novo serviço na cidade. “Esse é um marco importante para a nossa cidade. Quero agradecer ao provedor Neuberth Lima pelo empenho em tornar a Santa Casa uma referência para a região”. (Informações: Camilla Oliveira / Andrea Marnine)



Retirada de canteiro para passagem de torres eólica gera polêmica em Morro do Chapéu


Um canteiro localizado na Praça Flaviano Guimarães no centro de M. do Chapéu foi retirado neste final de semana.

Em dois dias, as árvores foram retiradas, e o local ficou limpo. A retirada do canteiro se deu por conta de um acordo entre poder publico e uma transportadora, que vai fazer o transporte de 128 torres de energia eólica passando por dentro da cidade de M. do Chapéu.

A retirada das árvores e a destruição do canteiro geraram inúmeros protestos nas redes sociais, as pessoas reclamam da falta de informação previa para a população.

Segundo o Presidente da Câmara de Vereadores (Rocha) em entrevista a Rádio Diamantina FM, a contra partida da empresa será fazer uma pavimentação asfaltica na Rua Souza Dantas e a reconstrução do canteiro após a passagem das torres e mais uma praça próximo ao Bairro Paxola. (Morro Notícias)



Médico desabafa e faz apelo por vida de paciente em Miguel Calmon


O médico boliviano Dr. Willman La Fuente Avila, lotado no hospital Português, na cidade de Miguel Calmon, no Centro-Norte da Bahia, fez um desabafo em sua página no facebook nesta quinta feira (31), clamando pela vida de uma paciente que se encontra internada em estado delicado há mais de 10 dias e precisa ser transferida para um hospital com UTI.

A paciente é Almira Pereira de Queiroz, de 75 anos, que está internada com doença pulmonar grave e depende de uma vaga na UTI para conseguir sobreviver. Ela está na fila da regulação e, segundo a família, já tem uma decisão judicial para que seja transferida para um hospital com UTI. Confira abaixo o desabafo do médico:

Fonte: Calmon Noticias



Irecê: Jovem acusa UPA de negligência após marido morrer por diagnóstico tardio


A dona de casa Natália Oliveira, de 21 anos, acusa a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de Irecê, no norte da Bahia, de negligência médica, após o marido dela morrer por complicações provocadas por um diagnóstico tardio de apendicite. De acordo com a jovem, o operador de máquinas Romilson Lima de Araújo, conhecido como Erick, de 24 anos, foi atendido 4 vezes na unidade de saúde, sentindo os sintomas de apendicite, durante uma semana, antes de ser transferido para o Hospital Regional de Irecê, onde uma tomografia constatou a doença. Conforme a dona de casa, o jovem chegou a ser submetido a uma cirurgia no hospital, mas entrou em coma após o procedimento, e não resistiu à gravidade da inflamação. O jovem morreu na segunda-feira (28), 6 dias após a transferência e cerca de 15 dias após procurar a UPA pela primeira vez.

A jovem diz que pediu duas vezes para que o marido fosse transferido para o hospital, ao longo das idas à UPA, mas não foi atendida pelos médicos que prestaram atendimento a Romilson Lima. Segundo a dona de casa, os profissionais alegaram que o jovem estava apenas com gases. “Ele sentia muita dor. Eu entrei na sala de atendimento com ele e pedi a transferência. O médico olhou pra minha cara e disse que não era caso de ir para o [Hospital] Regional. Falou que a gente voltaria da porta, porque lá eram casos mais graves. Disseram que eram gases, passaram algumas medicações para gases e mandaram ele para casa”, contou Natália Oliveira. Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde de Irecê, juntamente com a direção da UPA, informou que o jovem foi atendido por três médicos em plantões diferentes e que, de acordo com os plantonistas, os resultados dos exames clínicos internos e ultrassonografia realizados no paciente não sinalizaram qualquer inflamação aguda do apêndice. (mais…)



Alunos do CETEP participam de aula experimental em estação de Uvas de Morro do Chapéu


No dia 24/08 alunos do DCETP M. do Chapéu visitaram a área experimental administrada pela Associação dos Pequenos Criadores de Morro do Chapéu-BA.

Foram as turmas do 4° AGP e o 4° AGC.

Os alunos fizeram uma aula prática (colheita de uvas para a transformação em vinho). As uvas foram colhidas pelos alunos, depois foram encaminhadas para o devido resfriamento, onde serão conduzidas na semana que vem para a Miolo (região do Sub-médio São Francisco.)

O Técnico (Val) fez uma demonstração de análise do BRIX (teor de açúcar presente nas vagas) com a utilização do equipamento (refratômetro), onde foi encontrado o valor de 22° brix (ponto interessante do teor de açúcar para a produção de vinho).

A colheita poderia ser feita com um teor maior (brix), porém houve a necessidade de colher logo devido à predação de frutos por abelhas e por pássaros.

Foram abordados assuntos como o ponto ideal de colheita de uvas destinadas à produção de vinho, adubação, irrigação, variedades, formas de condução da cultura (comparando com a uva “de mesa”), adubação orgânica, correção do solo, assuntos relacionados aos custos de manutenção de 1 ha de uva …

Após a aula foi solicitado dos alunos a elaboração individual de relatório da aula abordando os assuntos explanados e visualizados na Aula. (Morro Notícias)