CLIQUE AQUI E VISITE NOSSA PÁGINA!
CLIQUE AQUI E VISITE NOSSA PÁGINA!
ANUNCIE CONOSCO!
ANUNCIE CONOSCO!
ANUNCIE CONOSCO!

4 de junho de 2018

Morre em Utinga, professor e poeta J. Moraes

Faleceu na tarde deste sábado (02), aos 60 anos, o professor, poeta e compositor José Alves de Moraes. De acordo com informações,  J. Moraes foi encontrado desacordado dentro do seu veiculo na rodovia Utinga/Wagner. Ele ainda chegou a ser socorrido para o Hospital da cidade de Wagner, mas já chegou sem os sinais vitais. Ao que tudo indica, o professor passou mal enquanto dirigia o veículo.

Nas redes sociais, amigos, colegas de profissão, alunos e ex-alunos manifestaram pesar pelo falecimento inesperado do professor, que era uma pessoa muito querida da população utinguense.

A prefeitura de Utinga divulgou uma nota lamentando o falecimento de José Moraes e decretou luto oficial de três dias. Confira na íntegra:

Recebemos, consternados, a noticia trágica do falecimento do professor e poeta José Morais. O Governo Utinga de Todos se solidariza com a família e amigos enlutados, eleva preces ao Pai, pedindo por seu acolhimento e, em atitude cívica, Decreta Luto Oficial por três dias em todo o território Utinguense, ao tempo em que, através da Secretaria de Educação, se coloca à disposição da família.
Joyuson Vieira
Prefeito Municipal

Confira um dos poemas de J. Moraes:

UMA FESTA DE ARTE
José Moraes

Uma semana aparte, é nossa
festa é nossa arte.
Utinga encanta enquanto muitos
Se decantam se apóiam num litro, da
branquinha. A cabeceira degustada com limão
tira-gosto talvez biju da mais
pura tapioca observam a distância
o artista e seu mundo de contos.
O Monteiro cabra afiado,
Marivaldo, violonista, Edivaldo violeiro
e também bom cantador, Zé Morais neles se
encostam e fazendo poesias diz o tom ao trovador
E o Numa, nosso Pompílio faz,
as regras, comanda o jogo nos mostrando a
atração no circuito da viola,
Bule-bule e legião, na platéia
tem artistas perdidos na multidão
é Utinga fazendo arte, com
Sanfona ou teclado, com pandeiro ou
violão, pois cultura tá no sangue,
tá na voz e na canção.

José Alves de Morais
Referências:
MORAIS, José Alves, Poesia – Um estado de Extâse.2 ed.Salvador:
Edições – Séc.XXI-A Romana.2004,p.9.

(Blog do Léo Barbosa)

Share Button