CLIQUE AQUI E VISITE NOSSA PÁGINA!

ANUNCIE CONOSCO!

ANUNCIE CONOSCO!

ANUNCIE CONOSCO!


21 de outubro de 2016

Mãe acusa diretora de agredir filha de 10 anos em escola; mulher nega

A mãe de uma estudante de 10 anos de uma escola municipal de Mucuri, cidade na região sul da Bahia, registrou queixa contra a diretora da instituição de ensino por agressão contra a criança. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (20) pela Polícia Civil. A diretora nega a acusação, segundo o delegado Samuel Martins Neto, que apura o caso. A mãe da aluna foi na quarta-feira (19) na delegacia prestar a queixa e disse que a agressão contra a filha teria ocorrido no dia anterior, durante a hora do recreio. A menina estuda no quarto ano do ensino fundamental na Escola Municipal Ismar Teixeira Guedes, na Rua Santo Antônio. "A menina disse para a mãe que tinha levado um tapa da diretora, e a mãe veio prestar a queixa. Mas, por enquanto, a história está muito confusa. Cada um diz uma versão diferente", declarou o delegado, que disse já ter ouvido os envolvidos e remetido o caso para a Justiça. A aluna fez exame de corpo de delito na manhã desta quinta-feira para que a agressão possa ser comprovada. "Eu tava brincanco com a minha colega e um menino me deu um empurrão e eu fui descontar. A diretora me pegou pelo braço forte e me levou para a diretoria e me deu um tapa e ficou vermelho", contou a criança. A mãe da aluna, Aparecida Santos, se disse decepcionada com o ocorrido. "Teria que pegar os dois alunos, ela e o menino que brigou com ela, e colocar na secretaria, deixar de castigo e chamar os pais para conversar com educação. Não é chegar e meter o tapa nos filhos dos outros. Nem a gente que é mãe hoje em dia não pode bater nos filhos da gente", disse. Conforme o delegado Samuel Martins Neto, a diretora, no entanto, afirmou que queria apenas separar uma briga entre os alunos e evitar que a aluna jogasse uma pedra no colega. "Ela negou que tenha agredido a estudante e contou que apenas foi tentar evitar que a aluna batesse em outro. Disse, ainda, que estava apenas tentando acalmar os ânimos", afirmou o delegado. O G1 não conseguiu contato com a escola municipal e nem com a Secretaria de Educação da cidade nesta quinta-feira (20). (G1)

Share Button